quarta-feira, 10 de junho de 2015

Love is in the air .... (Parte 3)

No dia dos namorados, preparamos um post especial de cada InPerfeitas e nada melhor do que compartilharmos um pouco de como começou nosso namoro...e como está sendo até hoje. 
O Klayton apareceu na minha vida (esse é o nome do meu namorado e meu amor), em uma época que eu não estava tão aberta a relacionamentos, já tinha me magoado muito e estava com muito medo de me envolver novamente, Nós já nos conhecíamos de um churrasco de confraternização da Associação dos Cadeirantes da minha cidade (Bauru), confraternização essa que havia sido em minha casa, mas pouco conversamos e uma amiga em comum já havia falado:“oh Dé, vai vir um gatinho, o Klayton, paquera ele...rsrrs” , mas eu não dei muita bola, talvez, porque realmente eu não quisesse me abrir ou me permitir. Depois disso, acho que se passaram aproximadamente uns 6 meses, dai para mais... 
Tiveram outros churrascos, mas eu não fui, e num certo dia, me convidaram novamente para outro e dessa vez fui. Conversamos bem pouco, pois eu precisava ir em outra festa, e eu perguntei pra ele como havia sido o final do churrasco, procurei diversas pessoas, mas ele, estava ali online (era pra ser, só pode...rsrsrs), conversamos, ele me falou como tinha sido o termino do churrasco, e só. Foi então que ele me pediu para que adicionasse no Whatsapp e ai tudo começou, começou em uma conversa sem intenções e de repente, eu já sentia falta de falar com ele. Foi quando aconteceu um outro churrasco, e ficamos, mas eu ainda estava com medo, medo de me envolver, medo de sofrer novamente. A Lu (Luciana Marques) me ajudou bastante, conversou muito comigo e agradeço a ela por isso (Lu vc será nossa madrinha, ok?! Kkkkkkkkkkkkkkk). Pode ter certeza que algumas pessoas olham torto sim para nosso relacionamento, algumas pensando em como duas pessoas com deficiência podem namorar, em como as limitações seriam difíceis, mas não existe limitação quando a gente ama, não existe limitação quando queremos realmente algo. 


O Klayton é cadeirante, e eu como vocês sabem também uso a cadeira de rodas em algumas situações, por conta da distrofia, e isso não nos atrapalha em nada. O Klayton é totalmente independente, e a "limitação" dele não impede que ele faça nada, muito pelo contrario, ele é muito mais independente do que qualquer outra pessoa, além de tem uma força de vontade incrível. E a minha "limitação" também não impede que eu faça nada. 

Hoje eu sei da importância em se permitir e em enxergar que cada pessoa é única, cada relacionamento é único, e não é porque não fomos felizes em um relacionamento, que não seremos felizes em outro. Apenas precisamos encontrar a pessoa certa pra nós...aquela que dá frio na barriga, que nos faz feliz, que no dá paz! Eu encontrei, aqui está apenas um pequeno resumo de como nos conhecemos, pois ficaria horas e horas contando tudo para vocês...vamos deixar para um próximo post.

Beijos até a próxima


Love is in the air.... (Parte 2)

Dando continuidade as nossas postagens comemorativas do dia nos namorados, agora euzinha (wivian) vou dividir com vocês mais uma alegria.

Eu sempre planejei/sonhei muito viver um relacionamento, tinha ideias de como seria, das coisas que iria fazer...mas tudo era construído em cima de um eterno "se" que nunca acontecia de verdade. Paixões platônicas, desilusões constantes...estava cansada de oferecer tanto e não receber nada. Até que um dia quando eu resolvi parar com esses mergulhos kamikazes (mergulho suicida sem nenhum futuro), recebi um elogio e um pedido de amizade. 

Fui conversando com esse alguém todos os dias, ele sempre assertivo e seguro no que falava e eu com aquele receio de me machucar mais uma vez. Mas ele não desistiu de mim (ainda bem né kkkkkkk) e isso foi me conquistando aos poucos. Em nossas conversas, cada um falando um pouco de si, e ele mostrou que a insegurança e desacertos não eram exclusividade minha. Ele veio de uma outra relação e com um filho (e hoje, esse pequeno é o meu parceirinho de gordices, jogos e desenhos animados), mas isso não foi problema para mim pois adoro criança, eu só pensava "será que vou dar conta do recado?!".

Passamos da internet para o WhatsApp e em seguida ele quis marcar um encontro, e nesse momento eu gelei. Alguns dos meus amigos que estavam a par de toda a história me incentivaram e toparam ir comigo no encontro, e foram mesmo. Foi hilário, pois eu estava cercada por uma escolta de cinco amigos e ele só (até hoje ele brinca com isso falando que eu levei meus amigos para não o deixar fugir). E estava tão nervoso quanto eu, mas sentou do meu lado, conversamos, sorrimos e os meus amigos me cutucando e trocando olhares comigo, falando o quanto ele era legal e que estava aprovado kkkkkkkkk Ele sempre foi carinhoso, atencioso e cavalheiro comigo, e fez questão de me acompanhar até a minha casa. Viemos caminhando e conversando, até que um toró caiu e o chamei para subir....aquele climão mas não foi dessa vez que rolou beijo. Sinto minha orelha coçar com os pensamentos de vocês kkkkkk 

Dias se passaram e o Filipe (esse é o nome do meu amor!!) passou a me visitar e  por coincidência todas as vezes que vinha eu estava doente (cólicas menstruais e crises alérgicas) kkkkkkkk Ele descobriu meu ponto fraco e sempre trazia chocolate, garoto esperto né kkkkkkkkkk não tinha como eu recusar nem o querer longe, pois além do chocolate ele sempre me trazia calma. O primeiro beijo aconteceu no segundo encontro, véspera de carnaval e pra variar eu estava com outra escolta de segurança kkkkkkkkkk dessa vez foi menor, eram apenas duas amigas. Depois dele me deixar em casa, fomos nos despedir e rolou o beijo !!!!!!!!!!!!! E foi engraçado pois ele falou "Até que enfim né", eu fiquei vermelha e sorri sem jeito. Desse dia em diante, quase sempre nos víamos, e as conversas eram diárias.
Minha ficha só caiu de verdade quando ele me pediu em namoro. Fiquei tão perdida que não consegui dar uma resposta na hora e pedi um tempo. E esse tempo demorou três meses, não foi maldade não gente eu juro, mas estava tão calejada que eu não tinha certeza de nada. Só que o Filipe mostrou que não era brincadeira, que não era curiosidade, que era de verdade. E assim o medo foi se transformando em admiração, a vontade de tê-lo por perto, de sentir e dar carinho foi crescendo cada vez mais, e eu não podia mais negar que estava apaixonada e que também queria viver tudo aquilo. Disse sim para nós! 


Tudo o que passamos serviu para nos fortalecer como casal e como pessoas, pois ambos tivemos que aprender a superar e a entender as limitações de cada um (e ainda aprendemos dia a dia) para fazer o nosso amor dar certo, e estamos conseguindo. Acho que a grande sacada do nosso relacionamento é a leveza e parceria, além é claro da admiração e amor que sentimos um pelo outro.

Hoje estamos vivendo 1 ano e 71 dias de um namoro lindo, sólido, cheio de amor e declarações gastronômicas kkkkkkkkkkkk, descobertas, trocas de experiência...enfim estamos felizes e assim pretendemos ficar por muito tempo.

Sou mega suspeita para falar algo dessa história, mas não é exagero quando digo que é linda ;)
Beijos e inté mais!!
=)