segunda-feira, 19 de maio de 2014

IDENTIDADE ESTEREOTIPADA

De uma discussão sobre os preconceitos que sofro pelos próprios deficientes (alguns), surgiu esse artigo feito por meu amigo, Dudé Vocalista.


IDENTIDADE ESTEREOTIPADA , 
                                       por Dudé Vocalista

                                                                                   
Dentro dos avanços alcançados a passos de tartaruga, no que diz respeito aos direitos das pessoas com deficiência, a busca do que chamo de ‘’Identidade PCD’’ é um dos capítulos mais contraditórios que existem.

Fico a pensar com meus botões o Inferno de Dante que deve ser a cabeça de um sujeito que prega igualdade de direitos junto com o reforço de estereótipos. E vamos tentar focar o assunto um pouco além do apontar a velha e boa culpada de sempre: a sociedade em geral.

Ver discursos dos mais variados sobre o tema ‘’direitos iguais’’, sempre contrabalançados por uma retórica assistencialista, não é nenhuma novidade. Nem os discursos contraditórios transportados das redes sociais pras relações pessoais. O interessante é a concorrência de ideias entre as próprias pessoas com deficiência com a bandeira hipócrita da busca por uma identidade.

Buscar a igualdade de condições pedindo pra que as pessoas continuem prestando atenção à cadeira de rodas, ao invés do ser humano sentado nela, é uma situação que confunde até os mais espirituosos e com paciência de sobra. E ainda colocando tal contradição como a coisa mais normal desse mundo é de dar um nó na cabeça de qualquer um.

E tal raciocínio se enraizou de tal forma em algumas pessoas com deficiência, que encontrar algum deficiente que não pensa e age assim se torna motivo de conflito.

Pois é, você quer ser visto de igual pra igual, quer igualdade de condições, mas vomitando sua falta de autoafirmação. E criticando duramente seu semelhante que não pensa assim.

Já tem um bom tempo que blogueiros e revistas pedem pra que eu escreva sobre o assunto. Sinceramente, já não sei mais o que dizer sobre isso. 

Na verdade, o fato desse assunto ainda ser tratado com tanta frequência é o grande motivo de preocupação, pois ainda mostra certa imaturidade de alguns PCDs incapazes de encontrar um ponto de equilíbrio pras suas próprias vidas. E ainda utilizam uma falsa autoridade no assunto inclusão social pra criticar os deficientes que não compartilham das mesmas atitudes. Paladinos desinformados, e desequilibrados emocionalmente, sinceramente, são tudo o que não precisamos.

Ou seja: falta um pessoal parar pra olhar seu próprio reflexo no espelho, antes de cobrar a compreensão alheia de forma tão imatura.


2 comentários:

  1. Luciana, foi uma grande honra dar a minha contribuição pro blog Imperfeitas.
    Muito obrigado pelo convite.

    ResponderExcluir