sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Células Tronco


Muito se tem falado sobre o avanço nas pesquisas com células tronco, nas infinitas possibilidades de tratamento e até mesmo de cura para muitas doenças degenerativas, como a Distrofia por exemplo. Mas o que de fato é verdade e o que é mera especulação?! Quem pode fazer este tipo de tratamento e a quantas andam as pesquisas. Muitas dúvidas povoam nossa cabeça, um sopro de esperança para muitos e uma “questão de honra” para os pesquisadores sérios.

Sempre faço questão de deixar bem claro que não sou especialista, apenas procuro dividir o que aprendi e o que leio sobre o tema, por isso deixo sempre as fontes e não canso de falar que para qualquer diagnóstico ou início de tratamento procurem um médico. O tio Google é ótimo, mas APENAS para pesquisas!!!!
De tanto ver nos jornais da tv que ao redor do mundo estão sendo realizados tratamentos com células tronco não paro de tentar saber como são esses tratamentos, se realmente são confiáveis. Já ouvi muita coisa, injeções com substâncias enzimáticas (caríssimas e em Dólar) que recuperariam meus músculos, mas graças a minha consciência crítica e analítica dos fatos kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk (e também aos laudos da tal seringa milagrosa) vi que a chance de melhora era mínima e o risco de ter uma reação fatal durante a aplicação eram ENORMES. Somei 2+2 e disse não!

Aqui vai um resumo basicão do que são e de que forma podem ser utilizadas no tratamento de doenças degenerativas: 

  •  O que são células tronco? E o que são células-tronco embrionárias?

As células-tronco, células-mães ou células estaminais são células que possuem a melhor capacidade de se dividir dando origem a duas células semelhantes às progenitoras. As células-tronco embrionárias são responsáveis pela formação de todos os tecidos, órgãos e células do nosso corpo. 


  • Pode-se fazer pesquisa com células tronco embrionárias no Brasil?
Sim, em março de 2005 foi aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo presidente a Lei de Biossegurança, que permite, para fins de pesquisa e terapia, a utilização de células-tronco embrionárias obtidas de embriões humanos produzidos por fertilização in vitro e não utilizados no respectivo procedimento, atendidas as seguintes condições:
I – sejam embriões inviáveis; ou
II – sejam embriões congelados há 3 (três) anos ou mais, na data da publicação desta Lei, ou que, já congelados na data da publicação desta Lei, depois de completarem 3 (três) anos, contados a partir da data de congelamento. Em qualquer caso, é necessário o consentimento dos genitores.

  • Por que elas são diferentes das outras células do nosso corpo? 
As células-tronco embrionárias são as únicas com potencial de se transformar em qualquer tecido do corpo, de músculo a neurônio. Nenhuma outra célula humana tem essa capacidade. Uma célula-tronco embrionária pode fazer não uma, mas milhões de células do fígado – ou de pele, unhas, ossos. 

  • Como será o tratamento com células-tronco embrionárias?
No futuro, as células-tronco embrionárias poderão ser utilizadas na substituição de tecidos doentes ou lesionados, como nas doenças neuromusculares e no mal de Parkinson, ou ainda no lugar de células que o organismo deixa de produzir devido a alguma deficiência, caso do diabetes. Nas doenças neuromusculares e no mal de Parkinson, as células-tronco embrionárias poderão ser usadas para criar novas células musculares e nervosas, respectivamente, que seriam transplantadas no paciente, fazendo com que as doenças regredissem. O mesmo poderia ser feito em pessoas com diabetes: as células-tronco embrionárias seriam transformadas em células do pâncreas produtoras de insulina e depois transplantadas no doente. Esses são alguns dos muitos exemplos de aplicações de células tronco embrionárias, possibilidades que somente serão concretizadas se os cientistas puderem pesquisá-las com freqüência.

Tentei organizar aqui um pouco do material que consegui, e acredito que possa esclarecer um pouco as dúvidas, e também vou deixar links de sites com entrevistas com a Dra. Mayana Zatz falando sobre as pesquisas com as células tronco. 
Beijos e inté mais
=)






9 comentários:

  1. Que ótimo post, posso meter o meu bedelho e falar um pouquinho mais? Essa é minha área de atuação, então, vou tentar ser rápida, simples e objetiva, se deixar, eu viajo hooorasss...

    1- Existem também as células tronco adultas, a diferença entre essas e as células tronco embrionárias é a capacidade de diferenciação. Como assim?

    Bom, o embrião divide-se em 3 tipos básicos de "células", chamado "folículo", os 3 são: Endoderma, mesoderna e ectoderma.

    Cada um desses folículos geram vários tipos celulares,por exemplo, o mesoderma forma musculos e células vermelhas do sangue; O endoderma forma células do pâncreas, pulmão...

    Veja a figura do link abaixo que fica mais fácil (sim, o link é enorme):

    http://www.google.com.br/imgres?hl=pt-BR&tbo=d&biw=1280&bih=681&tbm=isch&tbnid=jeGHN1gkSlcZpM:&imgrefurl=http://www.rbcp.org.br/detalhe_artigo.asp%3Fid%3D805&docid=PBH_pkkAEWWa0M&imgurl=http://www.rbcp.org.br/imagens/v26n1a27-fig01.jpg&w=635&h=591&ei=48MCUcyTOoGi8QTSu4GICg&zoom=1&iact=hc&vpx=1006&vpy=121&dur=43&hovh=217&hovw=233&tx=197&ty=99&sig=101987366749592213568&page=1&tbnh=150&tbnw=162&start=0&ndsp=27&ved=1t:429,r:6,s:0,i:97

    Quando vc trabalha com uma célula tronco embrionária, ela pode gerar qualquer célula, vinda de qualquer folículo.

    Já as células tronco adultas (presentes no organismo de todos nós), já determinaram de qual folículo elas pertencem e diferenciam-se somente em células derivadas do mesmo folículo, por exemplo: Se vc quer formar musculo, pode pegar uma célula tronco mesenquimal (presente na polpa do dente, na medula ósseoa, dentre outros), se vc quer trabalhar com pâncreas, pode pegar uma célula tronco endodérmica.

    Enfim, a célula tronco embrionária tem capacidade de diferenciação total, a adulta, tem capacidade parcial (somente derivada do mesmo folículo). Há prós e contras em ambos tipos celulares, (isso é assunto pra outro post), a parte positiva das células adultas é o fato de evitar qualquer tipo de rejeição, já que obtemos a célula da própria pessoa que necessita, em contra partida, a quantidade é limitada e a diferenciação também.

    Enfim, só gostaria de informar que os embriões não são os únicos que carregam as células tronco, todos nós temos um montão circulando em nosso corpo.

    Espero ter sido clara, sem desenhos é difícil!

    beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei sua ajuda Vanessa!! Fique muito a vontade para contribuir viu!!! Você deu uma encorpada no tópico, e eu iria fazer isso a posteriori mas você foi show de bola!!
      Beijos e mais uma vez obrigada!!!

      Excluir
  2. Muito interessante esse post, esclarece muito porque muita gente se arrisca para fazer tratamentos malucos, até em outros países gastando horrores e até o que não têm!!:/ Tenho muita fé que o tratamento com células tronco irão ajudar muita gente, só que antes os cientistas precisam estudar muito todos os possíveis erros, pois não podemos arriscar nossas vidas!!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo post Wi, muito esclarecedor. O povo tem que saber separar o joio do trigo... Mas a esperança continua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brigadão Alê!!! A esperança deve permanecer SEMPRE!!! Beijão

      Excluir
  4. Olá pessoal, meu nome é Fabiula Jorge, sou parkinsoniana desde os 39 anos, hoje tenho 51, portanto a 12 anos com diagnóstico à 10. Tomo Stalevo, Mantidam e Sifrol (11 vezes/dia); sofro muito com a discinesia, dores musculares (24 hs/dia) e muita rigidez...Se não tomo os remédios fico rígida ao extremo até com dificuldade de respirar e de engolir, além de ficar tocando pandeiro ...rsrsrs,se tomo fico razoavelmente bem, mas em compensação o meu pé direito começa a sambar,a discinesia é incontrolável e quando a noite chega, não aguento a estafa muscular; aí não tenho posição pra ficar,viro na cama (com extrema dificuldade) a noite toda, me sinto um frango assado naquelas máquinas de espeto....rsrsrs. Procuro levar tudo na brincadeira, fica mais fácil suportar a realidade, mas as vezes, fico depressiva e me pergunto: Por que eu????? pra que tanta dor????? Minha esperança está na conclusão dos estudos da célula tronco para tratar esse mal que limita o corpo, sendo que a mente está ativa ( a mente pede e o corpo não obedece, não é fácil) sou candidata à D.B.S. no hospital das clínicas,mas confesso que tenho receio de fazê-la, pois conheço duas pessoas que já fizeram, ficaram bem durante pouco tempo:Uma voltou ao mesmo estado anterior e a outra piorou......desanimador não é mesmo????. A solução é pedir a Deus que ilumine a mente dos Neurocientistas para encontrar a cura, ou algo que contenha a degeneração progressiva provocada pelas doenças neurológicas e dos disturbios extra-piramidais. Vamos formar uma torcida organizada??? abraços!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia,

    Sou estudante do 4o ano de Jornalismo, da Universidade São Judas Tadeu, e estou fazendo uma matéria sobre células tronco e gostaria de saber seu eu poderia pegar uma imagem do site de vocês.

    ResponderExcluir