terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O importante é o que importa!

Na maioria das nossas publicações gostamos de mostrar o nosso dia a dia, os lugares que frequentamos e as pessoas que nos rodeiam, mas acima de tudo NOS mostramos (e às vezes nos AMOSTRAMOS também kkkkkkkkkkkk). Fotos em baladas, com a família, no trabalho... mil poses e sorrisos, temos fotos de tudo e de todo jeito e é natural né?! Nem sempre é fácil essa confiança e aceitação, principalmente quando somos bombardeados diariamente com fotos de “exemplos” de beleza, exigência nem sempre possíveis de serem seguidas, mas que muitas vezes nos diminui, nos limitando muito mais que qualquer deficiência. E o que fazer quanto a isso?! Como lidar com tamanha “cobrança”?!

A definição de beleza é muito ampla, aliás, não existe uma única definição para o que de fato é belo. Mas a mais plausível e a que mais uso é “Beleza é sentir-se bem consigo mesmo”. Acredito nisso porque a eterna insatisfação é algo inerente ao ser humano, nunca estamos satisfeitos com o que temos, sempre existe algo que incomode e/ou que precisa ser melhorado. E essa busca se torna muitas vezes absurda e inatingível. Nas pessoas com algum tipo de deficiência isso não é diferente, em nós tem um peso extra nessa cobrança, pois além das limitações ainda existem alguns problemas decorrentes da deficiência, as terríveis deformidades ósseas. Seja pela progressão ou pela adaptação que os movimentos exigem, o corpo se transforma e muitas vezes nos deixam ainda mais expostas.

Desde que descobri minha distrofia, fui percebendo as mudanças no meu corpo (nada traumático pra mim kkkkkk). Vi que minha postura ganhou uma inclinação (eu estava mais empinada) devido ao meu andar, pois eu jogava o corpo para trás para poder me equilibrar, mas não ficava constrangida não, eu achava engraçado ficar tão popozuda kkkkkkkkkkkkkkkk. Ah o meu andar também mudou muito, era muito rebolativo, meu corpo procurava o equilíbrio que já não tinha andando “reto”, mas aí não era tão legal, pois a partir da mudança na minha marcha passei a ser notada e apontada. Morria de medo de sair no recreio, todas as meninas e os atletas do colégio estavam na quadra (passagem obrigatória para qualquer lugar do colégio affffff). Um colega meu fez um comentário que depois de muitos anos (estudamos juntos por quase 10 anos) fui perguntar o porquê, ele me chamou de “perna de borracha”... nem precisa dizer o quanto fiquei triste né!? Ele nem lembrava mais disso, me pediu milhões de desculpas, e falei que na época foi duro pra mim realmente machucou, tanto que ninguém da minha casa ficou sabendo do fato. E esse foi o primeiro e único constrangimento que eu passei.

Quando passei a usar a cadeira de rodas, outra coisa me apareceu, a escoliose. Presentinho de grego esse viu kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu já fui muito encucada com ela, chorava horrores quando me via com uma blusa mais justa ou até mesmo de biquíni. Ela tem até apelidos, tem o famoso S do Senna e a Lombada kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tento brincar com isso, senão enlouqueço. Vejo tantas pessoas ao meu redor com dificuldades tão maiores que a minha que sinto até vergonha de sentir vergonha da minha coluna. Já sei o que me veste bem, corro de tudo o que marque e evidencie a minha amiga lombada, tenho tantos outros pontos positivos que devem e podem ser mostrados, então porque mostrar algo tão pequeno!? Como eu já disse a falsa modéstia não é algo comum as InPerfeitas =)

Como vocês já devem ter notado (tanto nos posts como nas fotos) eu adoro sair, e nessas saídas eu conheço muita gente (nisso se incluem OBVIAMENTE gatinhos kkkkk), e a primeira impressão que gosto de deixar logo quando chego é que eu sei exatamente onde estou e sei o que eu vim fazer aqui, faço isso mentalmente e tento expor pra deixar claro que não sou nenhuma coitadinha ou foragida de alguma clínica de reabilitação. Me produzo e mostro que sou muito mais que uma cadeira de rodas vermelha metálica, sou uma mulher linda e interessante. Não são todos os dias que acordo com esse humor a La Bündchen, mas procuro não focar tanto nas minhas fraquezas. Não faz bem a ninguém, não nos acrescenta nada, só nos deprime e nos torna pessoas amargas, e pessoas assim ninguém quer ter por perto (independente da sua condição física, é uó  kkkkkkkkkkkkkkk)

Não tenham medo do espelho, ele não passa de um pedaço de vidro metido a importante. Ele não sabe nada de você, não sente nada, no máximo ele te mostra apenas o visível aos olhos, o que na realidade só compõe uma pequena parcela do que realmente importa em uma pessoa. Adapte sua visão, explore o que você tem de melhor, mostre o que só você sabe sobre você mesma (o) (desculpem meninos, força do habito kkkkkkkkkkkkkk), garanto que o que pra você é comum pode ser algo extremamente interessante para outras pessoas, a começar pelo jeitinho único que você vive. Não existe perfeição, a única que temos conhecimento nos ama incondicionalmente e com todos os defeitos que temos, Jesus nosso Deus. Força na peruca, soltem o cabelão (pode ser os cabelinhos curtos também kkkkkkkkkkk) e sejam felizes, pois estamos vivos e não somos os únicos com dificuldade, aliás, estes obstáculos servem de tempero pra dar mais sabor nas nossas conquistas vocês não acham?!
Beijos e inté



=) 




17 comentários:

  1. Adorei, principalmente da parte do cabelinho curto... hehehe bjos

    ResponderExcluir
  2. É isso ai amiga! Adorei o post. Auto estima sempre para cima, independente de qualquer coisa. A beleza esta muito além do que os olhos podem ver. E só o fato de nós mesmas nos sentir bem e bonitas, é bom demais....kkkkkkk. Vamos jogar o cabelão. Beijoos

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada "anônimo" !! A ideia é essa, procurar ser feliz com o que temos de melhor. Beijãoooo e muito obrigada Dé!

    ResponderExcluir
  4. Oi, sempre acompanho o blog de vocês e gosto muito. Eu me identifiquei na hora que vc falou da escoliose, eu também tenho, a minha é de 38 graus, o médico disse que poderia operar mas tem muitos riscos, e então uso o colete de boston e faço fisioterapia. O único problema é se eu ainda crescer, que ainda tenho 16 anos e posso crescer mais um pouco e isso iria piorar minha escolise tendo assim que operar. Logo quando comecei a usar o colete tinha vergonha, só usava casaco que era o que menos dava pra perceber o uso do colete, e pra ir pro colégio nem se fala, morria de vergonha. Agora estou acostumando, o único problema são as dores na coluna, e os machucados que o colete faz. Mas penso que meu problema não é absolutamente nada perto de algumas outras pessoas, né! E temos que seguir em frente rs
    Adoro blog e acho vcs super fofas rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina, eu também tinha escoliose, e aos 13 anos tive que operar a coluna pq estava pressionando o pulmão e assim poderia perdê-lo. A minha foi de urgência e realmente tinha 50% de chance de dar errado e eu nao voltar mais da mesa de cirurgia, mas Deus é grande e abençôo os médicos!! Já fiz duas cirurgias de coluna, por causa da escoliose também, e todas foram bem dolorosas, inclusive tive que fazer uso dos coletes após cada cirurgia durante aproximadamente seis meses... acredito que enquanto poderes evitar é melhor...nao liga para o que os outros acham sobre o colete, pois o que importa é vc e sua saúde!! Tem gente que usa aparelho dentário, próteses nas pernas, braços... Essas coisas existem! Um grande beijo e continue na luta...;) e Ah se inscreva aqui no nosso blog para nos acompanhar, adoramos seu comentário!!

      Excluir
    2. Ah esqueci de te dizer que existem umas malhas que podemos colocar no corpo embaixo do colete... Realmente o colete nos machuca e tbm é bastante calorento...eu ficava com muitas marcas escuras...um saco...mas é da vida, né? A vida nao é mole nao...rsrs...só para os fortes!! Bjos querida...

      Excluir
    3. Que legal Carolina estar acompanhando e gostando do nosso blog. E estaremos sempre com novidades!!! Grande beijo

      Excluir
  5. Oie Caroline!!! Muito obrigada pelo comentário, e fico muito feliz por você mostrar que está conseguindo dar a volta por cima. E não deixe nunca de fazer o que gosta por causa do colete ou qualquer outra coisa. Beijo grande e fique a vontade para comentar e sugerir algum tópico para o nosso blog.

    ResponderExcluir
  6. Olá meninas, comecei acompanhar o blog d vcs a pouco tempo, tbm tenho distrofia muscular e estou apaixonada por este cantinho tão acolhedor e convidativo a aproveitar a vida, ainda estou na fase de aceitação, mas com fé em Deus td vai melhorar, vcs são um exemplo não apenas pra mim, mas para todos que de alguma forma chegam a vcs... Obrigada por esse espaço onde podemos tirar dúvidas e nos aprofundar mais no assunto beeejus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Viviane! Que ótimo que vc esta acompanhando nosso blog, ficamos muito feliz com isso. E queremos que fique a vontade para dar sugestões, tirar dúvidas. Estaremos sempre trazendo muitos assuntos legais. E a nossa maior satisfação é estar conseguindo passar toda essa mensagem para todos! Grande beijooo

      Excluir
    2. Que fofo!!! Fique a vontade sempre pra nos visitar e sugerir algum novo post. Brigadão mesmo, beijosss

      Excluir
  7. Obrigada meninas, é sempre mt bom quando encontramos pessoas iluminadas como vcs dispostas a dividir com o próximo td conhecimento e experiência d vida, mto obrigada msm principalmente pelo carinho, atenção e pelas informações que sem dúvida são de enorme valia para tds, beejus e abraços fraternos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Viviane por seu comentário!! Bjao;)

      Excluir
  8. Parabéns lindas histórias de vida e bons exemplos... Hj ao ler o blog de vcs me fez refleti. Quantas batalhas a Distrofia me fez superar. E agora me sinto renovada para seguir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo que queremos mostrar, que todas nós somos vitoriosas!;)

      Excluir
  9. Medo de espelho. Preciso contar isso aqui. Eu sempre tive horror a espelhos gente, e sabe aquelas portas enormes de vidro na frente das lojas? Eu desviava o olhar de todas, porque odiava ver o meu reflexo e ver como eu caminhava. Com o passar dos anos, a gente vai pensando, mew e daí, eu to viva, eu to andando, eu to fazendo compras, foda-se o que vão dizer ou pensar, e ai hoje sou super vaidosa e gente quero até comprar um espelho enorme para colocar no meu quarto. Aprendi usar roupas que valorizem o que tenho de bonito, amoo usar vestidos longos.... E sim me acho bonita. Nunca mais chorar em frente a um espelho!!! Beijos meninas!!! Esse blog é maravilhoso.

    ResponderExcluir
  10. A idéia é essa mesmo Shirley, valorizar o que temos de melhor SEMPRE!!!
    Beijão

    ResponderExcluir