terça-feira, 9 de abril de 2013

Devotees


Há alguns anos atrás quando entrei para esse mundo da internet, rede social(principalmente), comecei a fazer amizades com muita gente com algum tipo de deficiência física. Isso foi muito bom, pude trocar experiências e conhecer pessoas em que eu podia me espelhar e também ajudar. Bom, mas esse é um assunto para um próximo post...;)... Junto com essa galera de "malacabados", como já dizia o grande jornalista Jairo Marques, eu fiquei conhecendo os Devotees. Sim... Nem eu sabia quem eram, quando um amigo (cadeirante) me falou: 

- Cuidado!!!, tem muitos tarados na internet que tem atração por deficientes físicos e só querem transar e que são os "Devotees". 
Bom no primeiro momento, fiquei chocada que isso poderia existir!! Sendo sincera, senti nojo, desprezo... 
Hoje percebo que naquele momento eu fui preconceituosa, parti de conceitos pré definidos para caracterizar alguém, e isso não é legal, não é certo.
No segundo momento, bateu a curiosidade, tentar entender o porquê disso "existir", deles se atraírem por uma imperfeição. Fui procurar no dicionário o significado de devotee:
Aquele que denota devoção ou um admirador. Outra definição que encontrei, no blog deficientesedevotees.blogspot.com.br: 
"São pessoas heterossexuais, homossexuais ou bissexuais que sentem atração por deficientes físicos, exercendo ou não essa atração. Em alguns casos os devotees não chegam a manter relações sexuais com os deficientes por alguns motivos, um deles ser um devotee cuidador que visa cuidar, estar por perto sem no entanto vivenciar essa devoção sexualmente."
Conheci Devotees na internet, não foi um nem dois, vários, a maioria vinha com a curiosidade de saber se usava muletas, cadeira de rodas, queriam saber de minhas dificuldades e outros poucos já apareciam com os apelos sexuais, mas sabia como sair dessas situações...
Aproveito para falar que da mesma forma que existem Devotees colecionadores de mulheres e homens deficientes, que transam e depois os descartam, existem também homens e mulheres não Devotees assim, e descobri que são os " colecionadores" que fazem parte dos seres que eu desprezo.
"A imagem negativa pode ter surgido de experiências ou relacionamentos negativos de pessoas com deficiência e devotos. Muitos parecem buscar apenas satisfazer seus desejos e “taras”, ignorando sentimentos e expectativas do outro. Porem, creio eu, quase tudo tem um lado bom! E sentir-se desejado faz bem para o ego e autoestima de qualquer ser humano (com ou sem deficiência). Todo relacionamento envolve uma troca enorme de emoções, atitudes, sentimentos e também riscos. Uma deficiência não faz com que isso mude. Cabe a cada indivíduo saber e decidir com quem quer se relacionar." Publicado em domingo, 29 de abril de 2012 por Fernanda A. Zago no blog Deficiente, o andar começa na cabeça.
Conheci um devotee que respondendo a milhares de perguntas minhas pude concluir que sua admiração era pela força e garra da mulher deficiente e que a cadeira, era somente um complemento daquilo que o atraia, como todo o cenário da vida do deficiente.
E comecei a pensar... Existem homens que se sentem atraídos por mulheres acima do peso, eu mesma sempre gostei de um homem buxudinho e meio nerd, rsrsrs...não gostava dos malhados, como a maioria de minhas amigas, e então conclui que " qual o problema de se sentirem atraídos por mim por estar sentada? Por passar força, atitude, coragem e garra? Qual o problema da cadeira ser um fetiche?" 
Descobri, a partir de minhas pesquisas,no site do bengala legal, que além de não se tratar de "casos isolados", havia toda uma terminologia que definia o fenômeno e suas características. Existem os devotees que são pessoas (homens ou mulheres, hetero ou homossexuais) que se sentem sexualmente atraídas por pessoas com deficiência. Há também os pretenders que são pessoas que, além de serem devotees, sentem-se sexualmente estimuladas quando fingem ser deficientes, utilizando, em público ou privadamente, equipamentos como cadeira de rodas, muletas, bengalas, aparelhos ortopédicos. Além disso, existem os wannabes, que são devotees que desejam tornar-se, de fato, pessoas deficientes.
Vale salientar que no Brasil, existem poucas ou quase nenhuma pesquisa relacionada ao assunto, e que uma maior discussão sobre tal tema só trará benefícios a ambas as partes.
Bom, pelo visto esse mundo tem muito mais do que imaginamos e o ideal para uma convivência pacífica entre todos é que procuremos conhecer o outro para depois, e ainda assim com bastante cuidado, tirarmos as conclusões.

Importante enfatizar que tudo que escrevi é uma opinião e não precisa ser uma verdade absoluta, todos temos nossas opiniões e possivelmente irão divergir. Essa é a opinião de uma das inPerfeitas, Luciana Marques. Podem comentar e discordar:).

Para a maior parte da sociedade, os deficientes são vistos como "os amigos" , "os bons ouvintes", eles não são vistos como pessoas que podem ser atraentes sexualmente. Então os devotees, a partir desse pensamento da sociedade, são vistos como uma aberração, não são vistos como pessoas normais, pois fogem da normalidade da sociedade, fica aqui uma questão: o normal é ser igual a todo mundo?

29 comentários:

  1. Muito bom!!! Curti muito amiga. Bastante esclarecedor, e muito bem escrito!
    Orgulho!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. bom, eu nunca encontrei uma devotee acho né rsrs mas desejos existem mesmo né... tem um programa chamado tabu que ja falou sobre! bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rick, é bem capaz de ter encontrado por aí, bjo

      Excluir
  3. Nossa, nem sabia que existia esses termos. Adorei o testo e a maneira sincera com que abordou esse assunto. Ficou muito bem escrito e explicado. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Adorei...
    Muito interessante!!
    bjão querida
    Gil

    ResponderExcluir
  5. Hummm, adoreeeeeeeeeeeei, no princípio não vi por esse ângulo...faz sentido.

    Sou da opinião que o "normal" não é ser "igual" e sim, ter "equilíbrio e discernimento", o "extremismo e inflexibilidade" me assustam, mesmo aqueles consagrados socialmente.

    beijos, adorei o post! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário Van, concordo com vc, e muito obrigada, bjao

      Excluir
  6. Eu acho que tudo é válido mas com moderação !!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Gabriel, com moderação, claro:) mas é difícil moderar a paixão!! N achas!?

      Excluir
  7. Obrigado por sua discussão cuidadosa e interessante de devs. Eu sou um dev de os EUA, e eu acredito que muitos dos diálogos mais interessantes contemporâneas entre desenvolvedores e pessoas com diferenças físicas ou falta ocorrer em blogs brasileiros e grupos de internet. Estou muito contente de ver essas conversas impulsionar nosso entendimento.

    Há muitos sabores de desenvolvedores na internet, de ambos os sexos. Muitos dos desenvolvedores que estão mais ético e mais atraentes como parceiros têm um perfil baixo e pode não ser notado. Aqueles que se comportam mal são mais facilmente lembrados, e lamento que esses devs prejudicar a nossa reputação.

    Se você ou algum de seus leitores têm dúvidas, eu estou feliz em respondê-las com o melhor de minha capacidade.

    Obrigado mais uma vez!

    -Gray

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo seu comentário e disponibilidade em nos esclarecer sobre esse assunto, ainda tao obscuro e bastante complexo! Fico feliz que tenhas gostado.

      Excluir
  8. Parabéns, uma mulher cadeirante pode e é tão sensual que uma andante.

    ResponderExcluir
  9. Interessante assunto Lu, eu mudei minha opinião depois que li seu post. Já passei por uma situação assim e fiquei muito ofendida na verdade. Agora lendo aqui, o que tem demais de uma pessoa se sentir atraída por outra por ela ser diferente né? Acho que fui preconceituosa na verdade. E claro, desde que não vire uma obsessão, porque ai já seria doença. Nunca tinha ouvido falar sobre, parabéns mesmo, esse blog cada dia mais cresce heim, orgulho de você meninas. Show de bola. Abçs.

    ResponderExcluir
  10. Sou amputada, conheci um devotee e fui descartada como lixo estou meio depre com ódio como pode uma pessoa fazer isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, você conheceu um canalha, o que poderia acontecer com você sendo ou não deficiente. Canalhas existem em todos os modelos ok? Eu sou homem, sou devotee desde que me julgo gente (3 anos de idade) e estava namorando uma garota NORMAL há um mês. Depois de sairmos três vezes ( e irmos para a cama no primeiro dia ) ela me dispensou por WhatsApp. E aí? Como fica? Ao passo que ainda estou em tratamento de depressao porque perdi a mulher que eu mais amei na vida, amputada, com quem namorei três anos e ela me dispensou... E aí !? Sou um canalha? Na boa, acho que preconceito é uma merda. Eu não sabia que tinha esse nome até velho, ok? Não pedi para ser assim. Você não tem ideia da DOR que eu sinto quando estou só é vejo uma mulher bonita amputada. Eu quero, de toda a forma fazê-la feliz, grudo e não largo!!!! Para mim, seria até a morte se não tivesse acabado!!!

      Excluir
  11. Olá bom dia, tudo bem?
    Fico triste por saber que você está passando por isso, mas não leve essa experiência como definitiva na sua vida. Tenho absoluta certeza de que você tem mil qualidades, que é linda por dentro e por fora, e que não é um BABACA, virtual ou real que vai te fazer sentir o contrário! Levanta essa cabeça e tenta ver pelo lado positivo, você se livrou de alguém superficial, fútil que não conseguiu enxergar o que você tem de melhor, e não apenas a sua limitação física. Eu não ninguém pra criticar ou apontar o dedo, mas acho que essa de Devotee não é saudável, pra nenhum dos lados. Que a admiração, o desejo e o amor possam surgir independente do outro ter ou não alguma limitação. Ama-se o SER HUMANO e não a condição a que ele se encontra. Essa é a minha opinião tá, não tô julgando ninguém mesmo porque o amor pode surgir de qualquer parte e de onde menos esperamos. Mas só digo uma coisa, não desanima e não se culpe ou assimile nada de ruim que você ouviu/vivenciou com esse carinha. Bola pra frente, solta o cabelo, come chocolate, se quiser chorar chore, mas não viva trancada se lamentando, que a vida é isso, experimentações.
    Beijos e nos procure sempre que quiser viu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o que disse... Amar apesar da deficiência. Mas existem os que desenvolvem uma patologia que faz mal a quem está sendo envolvida. Verificar a diferença entre preferência ou doença.

      Excluir
  12. Boa tarde! Estou iniciando meu estudo sobre os Devotees. Está muito dificil achar informações sobre esta categoria no Brasil. Inicio o Doutorano agora em 2015 e gostaria que este fosse meu tema. Se alguém souber de alguma inforkmação, por favor entre em contato comigo. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, o tema é bem interessante mas quase não vai achar dados na internet. Tão difícil quanto achar um devotee no RJ. Haha.

      Excluir
  13. que sonho! onde acho uma mulher desas devotee passa meu e-mail pra uma se achar!

    ResponderExcluir
  14. O problema é qd o deficiente é q tem interesse em um devotee. Até pq geralmente devotees ostentam ter dinheiro.
    Aí passa ser interesse

    ResponderExcluir
  15. Acho completamente normal a pessoa sentir atração por uma pessoa com deficiencia, é um fetiche? Sim é, mas oq na vida nao é fetiche? Eu tenho atração por cadeirantes, cegas e anãs, da mesma forma alvumas pessoas se sentem atraidas por negros, seios gigantes, bunda gigante, pessoas super magras, pessoas grandes.
    O que acontece é que normalmente para aquele que se sente atraido é tudo normal, ele olha e ve algo que o chama atenção, mas aquele que atrai as vezes se sente mal por achar que o outro esta tratando apenas como objeto de desejo, imagina se eu fosse me sentir menosprezado por todas as pessoas que tem atração por negros.
    Os deficientes buscam muito um espaço na sociedade como pessoas normais, talvez quem mais os enxergue como pessoas normais sejam os devoters, mas quando se integra a maioria dos deficientes no mundo normal ele mesmo se menospreza, se sente inferior, o mundo normal não é isso? Vc olha uma pessoa na rua e as vezes alguem te atrai, eu olho pessoas na rua e as vezes a que me atrai é uma cadeirante mas na maioria das vezes não posso expressar essa minha atração por que geraria um incômodo para a pessoa.
    Por fim o preconceito acaba estando na cabeça de quem acha estar sofrendo preconceito, ao meu ver todos somos iguais, eu tenho um pouco mais de melanina dq outros e isso agrada alguns, vc anda de cadeira e isso agrada outros, mas no fim todos os prazeres são puro fetiches.

    ResponderExcluir